Má notícia para quem está em busca de imóvel residencial para alugar ou está em período de renovação de contrato: os preços estão subindo no sul da Flórida. Ao que parece, os inquilinos de Fort Lauderdale têm sido os mais afetados, com uma alta de 5,9% em março comparado ao mesmo período do ano passado. Em West Palm Beach e Boca Raton, os aluguéis subiram 4,8%, enquanto que a média no condado de Miami-Dade ficou em 2,9%.

Com base nesses percentuais, o preço médio de um apartamento em Fort Lauderdale, atualmente, é de US$ 1.858. Apesar de ter uma alta percentual maior do que as cidades de Miami-Dade, o preço médio de um imóvel na região que comporta West Palm Beach e Boca Raton, no condado de Broward, ficou em US$ 1.370, uma economia de quase US$ 300 equiparado a Miami-Dade, com preço médio de US$ 1.618. A alta nas cidades do sul da Flórida é superior ao percentual nacional, com taxa de 2,5% e preço médio de US$ 1.371. Os dados da pesquisa, divulgados pelo Sun Sentinel no início de abril, foram realizados pela Yardi Matrix com análise feita em 250 cidades americanas com mais de 100 mil habitantes e em condomínios com mais de 50 unidades.

Oferta x procura

De acordo com Ken Johnson, economista imobiliário da Florida Atlantic University, o que está acontecendo é uma queda nas ofertas por causa da grande demanda. “Moradores de outros estados estão migrando para a Flórida por causa dos altos impostos cobrados em suas cidades de origem”, afirma o economista. Somado a isso, o número de imigrantes no Sunshine State também não para de crescer. Dos quase 21 milhões de moradores da Flórida, dado divulgado pelo U.S. Census Bureau, estima-se que cerca de 4 milhões de habitantes sejam imigrantes. “Meu palpite é que nos próximos 20 anos a população da Flórida vai aumentar em 50%”, continua Johnson, “serão 30 milhões de pessoas no estado”.

Apesar da alta procura e dos preços inflacionados, a boa notícia é que novas ofertas estão a caminho. Ainda de acordo com o Sun Sentinel, Deerfield Beach recebeu sinal verde para construir mais de 300 apartamentos, e Coconut Creek e Pompano Beach estão com vários projetos encaminhados, cada empreendimento oferecendo entre 100 e 300 apartamentos. Essa oferta de novas unidades residenciais pode ajudar a aliviar a escassez e impulsionar novamente o mercado.

Imóveis intermediários em alta

Jesse Saginor, professor da Florida Atlantic University e especialista em tendências do mercado imobiliário, afirma que essa expansão é mais direcionada à classe média. “Com a baixa demanda no mercado imobiliário de luxo, surge uma predisposição à busca pelos imóveis intermediários”, conclui.

Para os clientes que não fazem ideia de preços, um ponto de partida realista é de US$ 1.200 para apartamentos de um quarto, US$ 1.500 para apartamentos de dois quartos US$ 1.800 para apartamentos de três quartos ou um townhouse semelhante. Esses valores servem como base para imóveis intermediários, aqueles que não são de luxo, mas são bem conservados (podem ser novo ou reformados, inclusive).

Concorrência acirrada

Além de todos os obstáculos relacionados ao crédito, à documentação e ao fato de encontrar o imóvel perfeito pelo preço justo, candidatos ao aluguel residencial às vezes enfrentam outro grande problema: a concorrência. A dica é não pensar duas vezes na hora de fazer uma oferta no imóvel que você gostou e que está dentro dos seus parâmetros de moradia. Se pensar demais, outra pessoa vai fazer uma oferta e quando você finalmente decidir, o imóvel pode já estar indisponível.

Você está em busca de imóveis para alugar? Recentemente postamos aqui no JOMI um artigo sobre como alugar um imóvel na Flórida. Para mais informações sobre aluguel e compra de imóveis, entre em contato comigo: Désirée Ávila – sua corretora de imóveis na Flórida – pelo e-mail desiree@corretoraflorida.com ou pelo celular/Whatsapp (+1) 954-993-4246, para buscarmos juntos um imóvel que atenda suas necessidades no valor e na região de seu interesse.